Santa Casa intensifica controle para melhor conservação de doações

Com a grande quantidade de alimentos recebidos, a Santa Casa Fernandópolis expandiu as medidas de controle de estoque, para manter a qualidade e preservação dos alimentos recebidos por meio das “lives” solidárias e doações individuais.

No Serviço de Nutrição e Dietética (SND), uma colaboradora analisa a validade de todos os itens recebidos, organizando-os em conformidade com o tipo de item e a proximidade do vencimento, para que os alimentos com vencimento mais próximo sejam os primeiros a serem consumidos. Também são controladas a higiene e outros aspectos de conservação, seguindo os protocolos sanitários.

Segundo a coordenadora do SND, a nutricionista Rubiana Lobreghat, esse cuidado, além de atender as normas sanitárias, também otimiza a utilização dos produtos. “Nosso trabalho, no gerenciamento desses alimentos, é desenvolvido observando o que determinam as normas de acondicionamento, mas, também, como forma de retribuir todo o carinho e cuidado que foi demonstrado pelos doadores”, ressalta.

Desde o início da pandemia da Covid-19, a Santa Casa Fernandópolis já recebeu cerca de 10 toneladas de alimentos não perecíveis, que podem ser armazenados por períodos mais longos e trazem menores dificuldades à conservação, podendo ficar à temperatura ambiente.

Além da quantidade recebida, outro número impressiona: o do consumo de alimentos para atender aos pacientes. Em média, são utilizadas 4,5 toneladas de alimentos por mês, que abrangem tanto os produtos não perecíveis doados, quanto as hortaliças, carnes e outros que precisam ser adquiridos pelo Hospital. Em 2019, o Serviço de Nutrição serviu um total de 225 mil refeições, uma média de 600 refeições servidas por dia.

 

ANY ANDRADEEstagiária de Jornalismo

Author Info

Assessoria de Comunicação

Dener Bolonha - Jornalista MTE 67.400/SP